segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Ultraviolência é para os droogs

Conto enviado pelo Nathan à mim por depoimento.
Por eu achar que estava muito grande pra aceitar todas as quatro partes, vou colocar aqui no blog mesmo, haha.

Está em nadsat. Quem entender, entenda.

-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-~-

Ah, ultraviolência é para os droogs, eu saí do meu odinóque e me apaixonei, virei um véque sério que vai pro rábite e essa quel toda. Mas, falando em ultraviolência, meu mósgue me faz lembrar de uma rascadze horrorshow... uma raze toltchocamos um véque brétchene e algumas ptitsas um tanto estarres para nossas idades, verdadeiras tchinas.

Então, éramos eu e meus três droogs, Qejinho, K-2 e Capelo, rassudocando o que fazer da noite. Qejinho, o mais safado dos droogs, govoritou uns eslôvos gréjines sobre as ptitsas da mesa ao lado e pitou seu moloco com facas, ficando afiado para o que iria eslutchatar. Capelo esquezetou algo como "vou tirar uma espátcheca", e K-2, vendo Bog e seus bem aventurados anjos e santos no dorogói chilapa em seu colo, só conseguia fazer muu muu que nem uma escotina estarre. Mas, um bolche véque brosatou uma cartófel em nossa direção, fazendo algumas babúchecas gritarem ai ai ai para o chume enquanto se abaixavam. Capelo foi atingido em cheio no gúliver, e o brétchene esmecava e soltava gargalhas como se tivesse tri iarbos.

Na hora, Capelo sacou sua chilaga, Qejinho esmotou as ptitsas que corriam para perto do véque que atirou o cartófel e pegou sua britva. K-2, ainda vendo Bog e descobrindo os segredos de seu mósgue, pegou sua uze e começou a girá-la no ar. Eu apenas esmequei e esmotei o que estava pra eslatchatar. Todos nós querímos vredar um pouco os zubes e os iarbos do véque, que ainda esmecava. Não demorou um minuta e estávamos toltchocando o véque, o crove vermelho saindo e saindo. As ptitsas da mesa ao lado queriam punhar os meus druguinhos, mas Qejinho, com sua britva, rasrezou as pletes delas, e a dratsa seguiu até que o dono do méssito onde estávamos jogasse todos pra fora, ameaçando chamar os miliquinhas com suas púchecas e essa quel toda. O véque, cheio de crove e com as pletes vonentas de tanto levar toltchocadas de K-2 e Capelo, ficou pugle e tentou correr, mas meus úmines druguinhos o lovetaram e punharam até que seus glazinhos ficassem girando e girando.

Então eu esmotei... eu esmotei Qejinho fazendo uma véssiche horrorshow. Ele havia soboritado as níjenes das ptitsas de antes, e agora niucava elas no seu odinóque. Ele, de cabo-de-panela, estava com os dois rúques nas níjenes, e ele, provavelmente sentindo aquele vone que só Bog sabe como é, não esmotou as ptitsas com os rodzes chegando por trás dele. Eles o punharam e o privodiaram até a prisesta local. Dias depois descobrimos que ele havia se tornado um plene. Nós, claro, fugimos do méssito quando vimos os rodzes.

Moral da rascadze: é sempre bom ter níjenes para niucar, mas só se tiverem um bom vone, e cuidado com as ptitsas e os rodzes.
Bom, droog, espero que encontre muitas níjenes para niucar em seu dome, ou no dome de alguma ptitsa, rs.

2 comentários:

Bruno Antonelli disse...

Haaaaah que dahora! >xDDD

Agradecimentos ao droog Nathan por ter lembrado de todos nós! rs \o/

Meu nadsat está um tanto enferrujado, mas ainda consegui entender pelo menos. :P

postcode: istanua (ESTÁ NUA?? -q)

Lioncourt disse...

kspposkoaskopsakop
fico feliz que tenha gostado, droogin K-2 ^^

postcode: pshoybra
Pessoa 1: PSH!
Pessoa 2: Oy?
Pessoa 1: Bra... q